segunda-feira, 8 de abril de 2019

Raízes de vida


2497
Valorizar a essência do simples e a exigência do importante.
Nesta obra original e envolvente, a natureza assume o protagonismo e corporiza a resposta a muitas inquietações do homem. Para esta viagem escolheu-se um caminho, não o das pedras, mas o da botânica, fazendo a ponte entre a cidade dos homens e a aldeia do campo, entre nós e a natureza, entre as palavras e as plantas..
...
Um regresso à simplicidade das coisas e à harmonia do mundo natural, um contraponto reflexivo ao ritmo frenético dos tempos actuais.
(in contracapa)

quinta-feira, 28 de março de 2019

Kabir e José Anjos: O Nome daquele que não tem nome; uma fotografia apontada à cabeça


2496
sessenta e três poemas de KABIR
Ed. Assírio & Alvim, 2018
-
Pouco se sabe sobre a vida de Kabir, para além do que deixam adivinhar os seus poemas, as hagiografias e as lenda. Terá vivido em Varanasi (Benares), o mais sagrado dos lugares sagrados hindus e simultaneamente um centro de comércio e peregrinação, na primeira metade do século XV. Nascido de uma viúva brâmane e adoptada por uma família da casta dos tecelões, convertida à fé islâmica, Kabir revela nos seus poemas um profundo conhecimento quer do hinduísmo quer do islamismo (e dentro deste do sufismo). De Varanasi, uma cidade que prometia a salvação a todos os que nela morressem, ter-se-á retirado no fim da vida para uma obscura cidade chamada Magahar.
A vida de Kabir confunde-se com a lenda. Desses episódios lendários da vida de Kabir há especialmente dois que gostaria que tivessem sido reais: o primeiro é o do encontro entre Kabir e Mirabai. O segundo tem a ver com a sua morte: hindus e muçulmanos teriam disputado o seu corpo, uns para cremá-lo, outros para enterrá-lo. Quando abriram o caixão, o que restava de Kabir era uma coroa de flores, que hindus e muçulmanos dividiram entre si.
Jorge Sousa Braga, na Introdução


2495
Ed. abysmo, 2019

Na palavra abysmo, é a forma do y
que lhe dá profundidade, escuridão, mistério...
Escrevê-la com i italiano é fechar a boca do abysmo,
é transformá-lo numa superfície banal.
Teixeira de Pascoaes

aquele que não ouvirás mais - poesia 2019 de Carlos Lopes Pires




2497


Carlos Lopes Pires escreve a p 7 :


para patitas
o gato da minha vida

o patitas deveria durar até depois de mim
um automóvel roubou-o do nosso quintal e à minha vida
-
A propósito: deixei registado no meu blogue-armazém o seguinte:
https://dispersamente.blogspot.com/2019/03/a-pretexto-da-apresentacao-do-26-livro.html


terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Vários: Luís Ochoa, Paul Auster, João de Melo, Pedro Chagas Freitas

 2494


2493

 2492


2491
 2490
2489

II Colectanea de Poesia Lusófona em Paris , Ed, 2018

2466

Contém 5 poemas de Zaida Paiva Nunes

Poesia




2488
Homem de Pau e Manta
Retalhos de uma vida
Luiz Marques Gomes
ed. do autor, 2019
-
Nasceu em Torres Novas a 17 de Fevereiro de 1955.
Vive em Carvalhal da Aroeira concelho de Torres Novas até aos 24 anos.
Actualmente frequenta o encontros de poetas na Biblioteca de Alcanena tendo vários textos poéticos publicados no jornal O Almonda (Semanário Regionalista de Torres Novas). Contribui também com a sua poesia nos eventos culturais realizaos na sua Aldeia, o Carvalhal da Aroeira.
O publicar parte dos seus escritos é o cumprir de uma promessa a si mesmo, aos amigos mais chegados e a todos aqueles que sabem da sua existência em Portugal e além-fronteiras. É o concretizar de um sonho. (in badana do livro)   




2487
Instruções para Atravessar o Deserto
Juan Vicente Piqueras
Ed.Assírio & Alvim, 2019
-
Juan Vicente Piqueras nasceu em 1960 em Los Duques de Requena (Valencia).
Nasci numa aldeia sem água e numa casa sem livros. O centro do seu mundo poético é aquela aldeia rodeada de vinhas, oliveiras, amendoeiras e montes, onde hoje vivem apenas trinta pessoas. A água chegou a minha aldeia no mesmo ano em que morreu Franco - disse o poeta. Nasci em finais da baixa idade média e vi séculos passarem diante dos meus olhos e um mundo inteiro desaparecer. Nasci numa Espanha que já não existe.
... Toda a minha poesia não é mais do que uma sucessão de humildes variações sobre o tema da Odisseia.    





2486
Enquanto uma din neve cai
Howard Altman
Ed. Guerra e Paz, 2019

Howard Altman é autor dos livros de poesia Hho Collects Tnhe Days e In The House, da peça de teatro The Johnsons & The Thompsons e de uma mão-cheia de histórias para crianças a espera de serem adoptadas. Os seus poemas tem sido publicados em Academyof American Poets, The Guardian, Poetry, Poetry Revew e outros lugares one um poeta tende a deambular. Nascido em Montreal, no Canadá, graduou-se na Universidade McGill ena Universidade Stanford; actualmente, vive em Nova York.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

José Luís Tinoco - os ateliers



2485
Catálogo das obras de José Luís Tinoco expostas na Galeria Municipal - Banco de Portugal - Leiria - 2018, segundo edição da Câmara Municipal de Leiria.
«A obra, agora apresentada na Galeria Municipal, e que se decompõe nos seus diversos ateliers, em áreas tão diversas como a arquitectura, a música, a pintura ou a ilustração, desperta o desejo de conhecer o homem e o artista que, embora longe, nunca esteve distante da sua cidade e das suas gentes. Expôs com frequência em Leiria, onde foi distinguido com Medalha de Prata do Município. »
in Nota de Abertura, de Raul Castro.
-
José Luís Tinoco nasceu em Leiria em 27 de dezembro de 1932.